Eu sou culinarista e vou incentivar hábitos alimentares saudáveis!  # 1



Este foi o compromisso que assumi durante a campanha #EuSouEEuVou no #DiaMundialdoCancer em 4/fevereiro. Idealizado pela UICC (@worldcancerday ) tem o propósito de conscientizar e combater os impactos globais da doença, sendo que a campanha atua como um lembrete poderoso que TODOS temos um papel a exercer na redução do impacto global do câncer!


Compartilho aqui o primeiro, de uma série de posts, dentro desta proposta.

O consumo diário de #probióticos é um dos #HábitosAlimentaresSaudáveis que eu gostaria de incentivar você a adotar e manter!


Por motivos óbvios, escolhi o Kefir de Leite como o primeiro probiótico a ser tratado aqui no blog.


Porém, antes de falar sobre os benefícios deste hábito, gostaria de começar introduzindo um pouco da história dos Grãos de Kefir de Leite, ilustrado por esta imagem que os mostra no fundo de um recipiente de vidro onde, mais tarde, será acrescentado o leite a ser fermentado.


Você sabia que o Kefir originou-se nas montanhas dos Cáucasos, região montanhosa entre o mar Negro e Cáspio? A palavra é derivada do Turco, e pode ser traduzida como “sentir-se bem”, sensação experimentada após ingeri-lo. Tradicionalmente, os caucasianos preparavam o Kefir pela fermentação do leite em sacos feitos do couro cru (ou estômago) de animais. O leite fresco era adicionado ao leite fermentado e após um tempo, ocorria um acúmulo de camadas de micro-organismos embebidos em um material com proteína e polissacarídeo e, eventualmente, a formação dos grãos. Estes grãos de Kefir foram passados de geração em geração entre as tribos do Cáucaso, sendo estes considerados uma fonte de riqueza familiar. Estudos científicos sobre o Kefir são relativamente recentes. Há pouco mais de 100 anos o russo Elie Metchnikoff, ganhador do Prêmio Nobel em 1908, conhecido como um dos pioneiros em imunologia, foi o primeiro cientista a estudar o Kefir. Era obcecado por estudos sobre longevidade: investigou a hipótese que bactérias tóxicas no intestino eram uma das maiores causa do envelhecimento. Fascinado pela longevidade do povo do norte do Cáucaso, estudou seus hábitos, e, como resultado de sua pesquisa, lançou a tese que o consumo de leite fermentado modula a microbiota intestinal. Em outras palavras, a ingestão de iogurte diminuía o número de bactérias produtoras de toxina no intestino e contribuía para a longevidade de camponeses desta região, grande consumidores de iogurte. Outra curiosidade interessante é que, apesar da intensa pesquisa e muitas tentativas realizadas para produzir grãos de kefir a partir de culturas puras ou mistas, normalmente presentes nos grãos, nenhum resultado positivo foi relatado. Desta forma, novos grãos de Kefir somente podem ser obtidos a partir do crescimento de grãos preexistentes, mantendo assim a milenar tradição de passa-los de geração em geração. Também há estudos que indicam que o Kefir pode ter surgido em diferentes lugares do mundo. Um deles indica que foram encontrados vestígios de #Kefir em tumbas no cemitério de Xiaohe, China, que datam de mais de 3.800 anos. No próximo post sobre hábitos alimentares saudáveis, conversaremos sobre outros aspectos do Kefir! ===========

Quem é você? Como você pode reduzir o impacto do câncer no Brasil?

Você também pode ser protagonista da mudança!

Engaje-se na campanha #EuSouEEuVou

================================

Adote hábitos saudáveis! Reduza os riscos da doença para você e para as pessoas que estão próximas de você!

#UICC #TJCC #Femama #unaccam #vencerocancer #iamandiwill #alimentacaosaudavel #comidasaudavel #habitosalimentaressaudaveis #saude #vidasaudavel #institutovencerocancer

(Este micro-artigo é resultante da consulta de diversos autores e pesquisadores sobre o tema.)

16 visualizações
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon

© 2017  Flor de Iogurte

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now